Saúde

Dicas para ter uma vida mais sustentável em 2014

Com pequenas mudanças, podemos fazer muito pelo nosso futuro.

Produtos de limpeza – O primeiro passo para adquirir uma vida mais sustentável pode ser dado em sua própria casa, na escolha dos produtos de limpeza que você utiliza. Alternativas caseiras como sódio, limão e vinagre podem substituir os produtos de limpeza tradicionais, que muitas vezes são tóxicos para o meio ambiente. Se optar por comprar em vez de fabricar o seu, escolha os que são biodegradáveis e evite os que possuem fosfato na composição.

Sacolas plásticas – O plástico mata milhares de animais por ano, além de poluir o meio ambiente. O papel, apesar de biodegradável, possui desvantagens ambientais e econômicas em sua fabricação, por isso escolha sacolas de pano ou retornáveis para fazer o transporte de suas compras.

Papel – Para o consumo de papel, prefira o reciclado, que consome de 70% a 90% menos energia que o comum, além de poupar nossas florestas.

Garrafas plásticas – Reutilize garrafas plásticas quando estas não puderem ser substituídas ou escolha squeezes e canecas para matar a sede. Além de sair mais barato, você evita o descarte no meio ambiente. Para os outros produtos que contenham plástico, escolha os de embalagens maiores e de preferência com refil; embalagem pequena é sinônimo de desperdício de água, combustível e recursos naturais.

Economia de energia – E istem diversas maneiras de poupar energia dentro de casa, uma delas é utilizar uma garrafa térmica com água gelada e cubos de gelo; esta opção evita o abre-fecha da geladeira e fornecerá água gelada para um dia inteiro. Quando for cozinhar, retire todos os ingredientes da geladeira de uma só vez.

Eletrodomésticos – Mantenha a geladeira longe do fogão, pois, com o calor, a geladeira precisa consumir mais energia para compensar o aumento da temperatura. Descongele sua geladeira ou freezer antigos, pois o excesso de gelo faz com que circule menos ar frio no aparelho, sendo necessário maior gasto energético para compensar, ou considere trocar de aparelho. Os eletrodomésticos novos consomem até metade da energia, comparado aos modelos antigos.

Lâmpadas – Substitua as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, que gastam 60% menos energia. Retire os aparelhos da tomada em vez de deixar em standby, pois este modo consome de 15% a 40% de energia, mesmo estando desligado.

Computador – Participe de ações virtuais. A internet é uma boa arma para conscientização e mobilização das pessoas. Faça reuniões de trabalho por videoconferência para encontros de quinze minutos em vez de presenciais. Você evita o trânsito, a emissão de gás carbônico, o estresse além de economizar dinheiro e poupar o meio ambiente. Desligue o computador se ficar mais de duas horas sem utilizá-lo e o monitor por 15 minutos. O maior responsável pelo consumo energético do computador é o monitor, os de LCD são mais econômicos.

Ar-condicionado – Desligue o ar-condicionado a uma hora do fim do expediente; a economia de 12,5% diária representará o equivalente a quase um mês de economia no fim do ano. Faça a manutenção do seu equipamento; um ar condicionado sujo representa 158 kg de CO2 a mais na atmosfera por ano. O ventilador de teto consome 90% menos energia. Combinar o uso dos dois também pode ser uma boa opção, para isso regule o ar-condicionado no mínimo e ligue o ventilador.

Lavando roupa – Retire imediatamente as roupas da máquina de lavar quando estiverem limpas e pendure-as no varal em vez de usar a secadora. Deste modo as roupas ficarão menos amassadas, poupando energia e trabalho na hora de passar. Para lavar a louça ou a roupa, procure usar água morna ou fria e utilize as máquinas quando estiverem cheias; se não for possível, use a metade da capacidade e selecione o modo de menor consumo. Escolha eletrodomésticos com melhor eficiência energética. Os aparelhos nacionais possuem o selo Procel e os importados o selo Energy Star.

Água – Não é muito difícil economizar água em nossas atividades diárias. Basta fechar a torneira enquanto escova os dentes, reduzir alguns minutos do banho, de preferência de chuveiro, em vez de banheira, que consome até quatro vezes mais energia e água; não permitir que as crianças brinquem com água; instalar válvulas na descarga para regular a quantidade de água liberada e, nos hotéis, opte por trocar lençóis e toalhas a cada três dias.

Cozinha – Para manter uma cozinha ecologicamente correta, o primeiro passo é manter a despensa e a geladeira organizadas. Isso contribui para um melhor planejamento da lista de compras, evitando gastos desnecessários, desperdício de alimentos e de energia. Faça farinha de rosca com pães velhos e salada com as frutas não muito frescas em vez de dispensá-las.

Tampe suas panelas enquanto cozinha e aproveite mais o calor. Prefira cozinhar na panela de pressão. Além de ser mais rápido, você economiza 70% de gás. Cozinhe em fogo brando, pois, por mais que você aumente o fogo, sua comida não cozinhará mais depressa porque a água não ultrapassa 100 ºC em uma panela comum. Coma menos carne vermelha. A criação de bovinos é uma das maiores emissoras de gases de efeito estufa, além de demandar grande quantidade de água em sua produção. Escolha alimentos frescos em vez de congelados e enlatados.

A comida congelada é mais cara e consome mais energia ao ser produzida e os enlatados geram mais resíduos. Evite pedir comida para viagem, economizando as embalagens utilizadas. Compre produtos orgânicos e incentive o comércio para que os preços caiam. Estes alimentos respeitam os ciclos de vida dos animais, vegetais e do solo e não contaminam o meio ambiente, além de serem muito mais saudáveis. Frequente restaurante que estimulam este tipo de alimentação.

Lixo – Faça compostagem do material orgânico que sobrar, reduzindo o lixo dos aterros sanitários e a emissão de metano na atmosfera. Além de reduzir o problema, você terá um jardim bonito e saudável. Faça coleta seletiva dos materiais reciclados e, se não houver este serviço em seu bairro, procure um posto de coleta. O óleo de cozinha costuma ser jogado na pia, mas cada litro de óleo chega a poluir um milhão de litros de água. Existem pontos de coleta específicos somente para o recolhimento desse material.

Pilhas – Use somente baterias e pilhas recarregáveis, em vez de pilhas comuns. Não troque de celular se ele ainda estiver em pleno funcionamento. As peças do aparelho usam derivados de petróleo e metais pesados na bateria.

Consumo consciente – Ser sustentável no caso do consumo não significa que estamos proibidos de fazer compras, mas que podemos optar por produtos mais duráveis, verificar se são ecológicos e quais os impactos de seu descarte.

Transporte – Ao comprar um carro, por exemplo, escolha o modelo mais ecológico, que emita menos poluente, como o flex ou os carros movidos a etanol. Apesar da dúvida sobre o álcool ser menos poluente que a gasolina ou não, parte do gás carbônico emitido pela sua queima é reabsorvida pela própria cana-de-açúcar plantada. Carros menores e de motor 1.0 poluem menos. Mantenha o carro regulado, ande mais de transporte coletivo, ofereça carona e ande mais a pé ou de bicicleta.

Meio ambiente – Tenha responsabilidade ambiental, plante uma árvore em seu bairro, proteja uma floresta, regue as plantas à noite ou pela manhã bem cedo, assim você impede que a água se perca na evaporação, e também evita choques térmicos, que podem agredir suas plantas; informe-se sobre a política ambiental das empresas que você contrata e considere o impacto de seus investimentos.

Essas dicas são muito simples de serem praticadas, basta atentarmos a elas e nos esforçar um pouco para fazermos diferença no futuro do planeta.

Fonte: Ciclo Vivo (texto adaptado)

Nossa missão é informar, explicar e apresentar diversos tópicos sobre, saúde, bem estar e qualidade de vida. As informações disponibilizadas neste site não substituem o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

© 2018 - CuraDaNatureza.com.br

Topo