Saúde

Finalmente, qual a verdade sobre o óleo de canola?

Finalmente, o óleo de canola é ou não bom para a saúde.

Passamos todo o domingo pesquisando sobre o assunto.

E vimos muita divergência.

Há os que defendem.

Há os que condenam.

Entre os opositores do óleo de canola, encontramos nomes como o dr. Lair Ribeiro e o dr. Victor Sorrentino.

Entre os defensores, não há nomes de grande fama, mas alguns bons textos de sites que parecem ser sérios.

Um deles é o da página “Alimentando a Discussão”, que classifica os textos contra o óleo de canola de “sensacionalistas e alarmistas”.

Para corroborar essa opinião, o “Alimentando a Discussão” começa informando que:

“A canola é na verdade um cultivar específico de colza (Brassica napus), uma planta semelhante à mostarda, especialmente desenvolvido para aproveitamento do óleo de suas sementes. A colza original já era utilizada há muito tempo como óleo combustível, ganhando força durante a revolução industrial. Entretanto, ela apresenta grandes quantidades de ácido erúcico, um composto potencialmente tóxico para a saúde humana (apesar de haver evidência apenas em certos animais, e de certas populações asiáticas o consumirem em suas dietas). Exatamente por isso, foi feito um melhoramento genético a fim de se desenvolver uma variedade com menos de 2% desse ácido em relação ao total de ácidos graxos, para que seu óleo pudesse ser utilizado com segurança para consumo humano. Ou seja, todos os ‘malefícios’ apontados devido a esse composto não se aplicam ao óleo de canola”.

Mais adiante, o autor acrescenta:

“O nome canola realmente é uma palavra inventada (CANadian Oil Low Acid – justamente por ter baixo nível de ácido erúcico), e é um daqueles casos em que uma marca acaba se tornando sinônimo do produto, como 1cotonete ou ‘durex’. A mudança de nome não foi feita apenas para diferenciar da planta original, mas também como uma jogada de marketing, já que o nome da semente em inglês (rapeseed) remete a algo ruim – pois rape significa ‘estupro’. De qualquer forma, é importante lembrar que o Canadá – origem e maior produtor do óleo – é um dos países com legislação mais rigorosa no tocante à saúde e segurança de alimentos. O óleo de canola apresenta comprovadamente altos teores de ômega-3 e ômega-6, e existem inúmeros estudos de seus efeitos nutricionais benéficos. Inclusive, o FDA (órgão regulador dos EUA) aprova várias alegações de saúde relacionadas à canola”.

Entre os críticos do óleo de canola, como informamos, destacam-se o dr. Lair Ribeiro e o dr. Victor Sorrentino.

O currículo do dr. Lair Ribeiro é extenso.

Ele é médico cardiologista/nutrólogo, autor de 35 livros, 25 dos quais traduzidos para outros idiomas e disponíveis em mais de 40 países, e tem 149 trabalhos científicos publicados em revistas médicas americanas indexadas.

Ele viveu 17 anos nos EUA e trabalhou em três universidades americanas – Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.

Além disso, foi diretor médico do laboratório farmacêutico Merck Sharp & Dohme e diretor executivo, chegando a vice-presidente, da Ciba Corporation (hoje Novartis).

Conseguimos, no Youtube, um vídeo em que o dr. Lair “ataca”, na parte final desse vídeo, o óleo de canola.

Assista e, depois, falaremos do dr. Victor Sorrentino:

Dr. Victor Sorrentino

O texto mais extenso e contrário ao óleo de canola encontramos no site do dr. Victor Sorrentino, médico gaúcho adepto da “medicina preventiva”.

Na verdade, o texto é uma reprodução de um artigo publicado no site da Weston A. Price Foundation.

Suas autoras são Sally Fallon e Mary G. Enig, ambas PhD.

O texto é enorme e tem, no seu final, uma extensa bibliografia.

Ele cita pesquisas que provam as desvantagens do consumo do óleo de canola.

Entre essas pesquisas, o artigo destaca: “Por último, estudos empreendidos nas Divisões de Pesquisa de Saúde e Toxicologia de Ottawa, Canadá, descobriram que ratos criados para terem pressão do sangue elevada e propensos a acidente vascular cerebral têm uma expectativa de vida menor quando são alimentados com o óleo de canola sendo a única fonte de lipídios. Os resultados de um estudo posterior sugeriram que o culpado seria um composto esteroide do óleo, que tornaria a membrana celular mais rígida e contribuindo para o encurtamento da vida dos animais”.

E quem você acha que está com a razão?

Queremos a sua opinião.

O óleo de canola é ou não bom para a saúde?

Quem está com a razão?

Nossa missão é informar, explicar e apresentar diversos tópicos sobre, saúde, bem estar e qualidade de vida. As informações disponibilizadas neste site não substituem o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

© 2018 - CuraDaNatureza.com.br

Topo