Saúde

Três receitas naturais contra herpes

O herpes é uma afecção da pele que se caracteriza por um leve ardor ou formigamento seguido por vermelhidão e edema, sintomas que duram cerca de três dias.

Em casos mais graves, pode haver febre e dor de cabeça.

Após esta fase, nota-se o aparecimento de pequenas bolhas, na pele ou mucosas.

Depois, as bolhas se rompem liberando um líquido que

contém novos vírus.

Esta é a fase mais contagiosa.

Por fim, as bolhas secam e formam crostas que se soltam e se cicatrizam.

O contágio da doença se dá, principalmente, através do contato físico (beijo e relação sexual).

O vírus do herpes passa, então, por um período de latência até o aparecimento de uma nova crise.

Há pessoas que têm quatro ou cinco crises anuais; outras apresentam crises frequentemente.

As formas mais comuns da doença são o herpes labial (foto) e o genital.

Existe outro tipo de herpes, conhecido popularmente de cobreiro, provocado por um vírus chamado varicela zoster.

Este tipo de herpes é caracterizado por dor muito intensa.

Quais as causas da reativação do vírus?

A principal delas é a queda da imunidade, normalmente causada por estresse.

É por isso que é muito importante manter o corpo e a mente em equilíbrio, com boa alimentação, exercícios físicos e atitude positiva diante dos problemas da vida.

Existem três ótimos remédios naturais para proteger o corpo contra o herpes.

Um deles é a equinácea.

Ela, porém, deve ser usada como preventivo, antes das crises.

Use a tintura da equinácea, que pode ser encontrada em farmácias naturais ou de manipulação.*

Outro é o chá de calêndula.

Você ferve a água (150 mL) e acrescenta, quando levantar fervura, 2 colheres (chá) de calêndula.

Desligue o fogo e tampe a panela.

Espere o chá ficar morno, coe e molhe uma gaze ou pedaço de algodão nele e aplique sob a ferida do herpes, deixando atuar por dez minutos.

Aplique três vezes ao dia.

O terceiro remédio natural para o herpes é o chá das folhas de cajazeira.

A cajazeira (Spondias mombin) é uma árvore muito comum no Nordeste do Brasil.

Seu fruto – o cajá – é muito apreciado e fica melhor ainda na forma de suco, picolé e sorvete.

Em 1991, pesquisadores da Universidade de Antuérpia, na Bélgica, isolaram das folhas e talos da cajazeira substâncias com forte ação contra os vírus do herpes.

Mais recentemente, os mesmos pesquisadores Belgas isolaram também das folhas e talos da mesma planta ésteres cafeicos, entre os quais se destacam o éster cafêico do ácido alohidróxicítrico e o éster butirico do ácido clorogênico.

Ambos demonstraram atividade contra o herpes.

Aqui no Brasil, pesquisadores da Universidade Federal do Ceará estão desenvolvendo um fitoterápico à base de um extrato alcoólico obtido das folhas da cajazeira que vem sendo usado devido às suas propriedades antiviróticas, apresentando resultados muito significativos no combate ao vírus do herpes tipo I e II.

Para preparar o chá de cajazeira, ferva um copo d’água por cinco minutos.

Quando levantar fervura, acrescente 2 colheres de chá de folhas da cajazeira.

Tampe a panela.

Coe e aplique sobre a ferida do herpes quatro vezes por dia.

Faça o tratamento durante o tempo necessário para a cura.

* A tintura de equinácea pode ser comprada pela internet: http://www.oficinadeervas.com.br/detalhe.php?

id_produto=43

Nossa missão é informar, explicar e apresentar diversos tópicos sobre, saúde, bem estar e qualidade de vida. As informações disponibilizadas neste site não substituem o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

© 2018 - CuraDaNatureza.com.br

Topo